,

Monte da Ravasqueira

Este é um Alentejo diferente, que surpreende desde a paisagem aos vinhos! 

 

Quem visita o Monte da Ravasqueira esperando encontrar aquela romântica paisagem tipicamente alentejana, de vastos campos dourados salpicados de sobreiros, vai ter uma surpresa – e das boas!

A quinta fica em Arraiolos, junto à serra, onde as vinhas plantadas a uma altitude de 270 metros do vento e da neblina matinal. Aqui, os vinhos nascem num vale protegido pela floresta e por duas barragens, com uma atmosfera húmida e por vezes muito quente. Daí produzirem vinhos tão frescos e aromáticos.

Mas, se sentimos bem as essências vegetais e minerais no Monte da Ravasqueira, também pairam no ar as notas quentes e intensas do cabedal e do pêlo de cavalo. Isto porque, ainda antes de o vinho surgir, já a atrelagem era uma tradição familiar. Aliás, uma das atrações deste enoturismo é a sua impressionante colecção privada de atrelados – uma das maiores da Europa, com 37 exemplares originais! Esta coleção, que é hoje um museu, foi iniciada em 1943 pelo primeiro proprietário do Monte da Ravasqueira, José de Mello.

José de Mello é o avô da geração que está hoje à frente desta propriedade de três mil hectares, 45 de vinha, e cujo primeiro vinho se deu a conhecer no ano 2000.

São cerca de 20, as referências produzidas no Monte da Ravasqueira, e em todas elas está bem presente a mineralidade e frescura que se respira nas vinhas. Foi na loja que pude provar cinco destas referências, em que a marca MR Premium (tinto e rosé) se destacou pela sua elegância e o seu carácter. É um Alentejo diferente, este. E com um significado especial para a família Mello, que homenageia o avô José, desenhado nos rótulos a conduzir um dos seus atrelados.

Na sala de refeições de decoração tradicional alentejana, a lareira e a comida da D. Olinda fazem-nos saber que somos muito bem-vindos! Naquela que é a antiga sala de convívio dos ranchos do Monte da Ravasqueira, junta-se hoje a sabedoria gastronómica alentejana aos excelentes vinhos da casa.

Sei isto porque, conto-vos agora, o Monte da Ravasqueira foi dos primeiros enoturismos que visitei, era ainda aluna de Enoturismo. Até apresentei o meu projecto final numa das suas salas de reunião! Aliás, agora que penso nisso, só pode ter corrido tão bem porque sabia que, depois da apresentação, ia ser reconfortada com uma fumegante sopa alentejana e uma irresistível carne de porco à alentejana.

Além da vindima, o Monte da Ravasqueira organiza actividades igualmente importantes para o nosso país: a extracção da cortiça e a apanha da azeitona.

Não se esqueçam de incluir o Monte da Ravasqueira no vosso roteiro pelo Alentejo. Não é por acaso que venceu os prémios de enoturismo que venceu!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *