Os antigos chamavam Madxa a Machede, um lugar sagrado pela fertilidade das suas terras. E foi mesmo em São Miguel de Machede que nasceu e cresceu a Casa Relvas

 

A Casa Agrícola Alexandre Relvas nasceu em 1997, quando a família adquiriu a Herdade de São Miguel, junto a São Miguel de Machede, no Alentejo. Em 2001 foram plantados os primeiros 10 hectares de vinha e posteriormente mais 25, perfazendo os atuais 35 hectares plantados na Herdade de São Miguel.

Foi também por esta altura que se construíu a adega no centro das vinhas, toda revestida a cortiça a lembrar mais uma vez o orgulho no Alentejo e nos seus produtos.

Finalmente em 2004, chegam ao mercado as primeiras garrafas de Herdade de São Miguel Colheita Selecionada Tinto.

Depois de vinte anos de actividade agrícola – onde sem dúvida os vinhos se têm vindo a destacar em Portugal e além-fronteiras – o projecto mudou de identidade.

No novo nome “Casa Relvas” encontraram a melhor forma de expressar a harmonia entre a tradição e a evolução desta família que vive a paixão pela terra e, em especial, pelo vinho.

É realmente em família que tudo acontece.  Os irmãos Alexandre Jr. e António, filhos de Alexandre Relvas, cresceram na Herdade e dão hoje em dia seguimento ao negócio de família, não só na área do vinho mas também na produção de azeite, essencialmente para exportação.

O enólogo residente, Nuno Franco, acompanha o projecto desde o início, vestindo a camisola e dedicando-se a todo o processo desde a vinha até a adega.

Mais uma prova desta ligação às origens são os vinhos da talha, que reavivam uma tradição alentejana quase em desuso. Com mínima intervenção humana, as uvas ficam 2 a 3 meses a macerar nas talhas que são abertas na altura do São Martinho, dando o mote para uma grande festa! As talhas de barro são pesgadas (revestidas) com pez de louro, resina de pinheiro e cera de abelhas.

O ART.TERRA Amphora é o resultado desta técnica: um vinho que denuncia claramente como é feito, através dos sabores de terra e argila provenientes do contacto com a talha mas mantendo a fruta original das castas brancas e tintas.

Grande parte da produção desta casa é vinhos de entrada e média gama. Um bom exemplo é o Herdade de São Miguel Colheita Seleccionada, branco e tinto, vinhos de consumo diário, bastante frutados e equilibrados que representam bem o Alentejo.

Mas a Casa Relvas gosta de explorar as possibilidades das suas vinhas, das suas castas e do próprio terroir, criando vinhos especiais.

É o caso do vinho Pé de Mãe. “Pé de Mãe” é o nome dado às videiras selecionadas para reprodução vegetativa, pela qualidade do seu fruto e adaptação a um determinado terroir. Aqui a Trincadeira mostra-se muito frutada, com boa acidez e persistência no paladar.

Há ainda um Arinto especial a que chamaram “Esquecido”, por ter sido deixado em barrica durante ano e meio após a vindima de 2017.

Um engano que resultou num óptimo vinho com sabor a ameixa ou manga mas mantendo bem presentes as notas frescas e vegetais do Arinto.

Também no enoturismo a Casa Relvas está a crescer! A apenas a 15 minutos do centro de Évora e no meio do campo, a adega recebe visitantes durante todo o ano.

Embora ainda não tenham visitas organizadas – pois o enoturismo não estava previsto no projecto inicial – há sempre alguém disponível para receber quem queira conhecer mais sobre esta casa agrícola.

Eu fui até lá e fui muito bem recebida! Logo na recepção deram-me um copo para a mão com a promessa de poder provar vários vinhos directamente das barricas 😊

E foi muito boa esta experiência, mesmo que os vinhos não estivessem ainda terminados, não estivessem “no ponto”. Adorei provar este néctar especial nas suas diferentes fases da vinificação, desde que a uva se transforma em sumo e esse sumo se torna vinho.

É isso que podem esperar também, numa visita à orgulhosamente alentejana Casa Relvas!