Herdade da Rocha Crato enoturismo

Nas férias deste ano #EuFicoEmPortugal. Eu e mais 48 bloggers, membros da Associação de Bloggers de Viagem Portugueses! Escolhi explorar o Alto Alentejo – Crato, Alter do Chão e Avis

 

Já vos contei que pertenço à Associação de Bloggers de Viagem Portugueses? Entre as diversas iniciativas e ideias que a ABVP tem tido, a última que surgiu tem a assinatura #EuFicoEmPortugal.

A ideia nasceu, naturalmente, na sequência da pandemia que fez o turismo parar em todo o mundo. A ABVP colocou cada um dos 49 bloggers associados numa região específica de Portugal. Foram abrangidos os 18 distritos de Portugal continental e ainda as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, numa ação concertada e em simultâneo.

O objectivo desta iniciativa é enaltecer Portugal enquanto destino de excelência e contribuir para a desejada recuperação do turismo nacional este ano.

Assim, com a missão #EuFicoEmPortugal em mente, tirei uns dias de férias e fui conhecer um pouco mais do Alto Alentejo: Crato, Alter do Chão e Avis

Alto Alentejo

Ponte Vila Formosa

CRATO

Foi no Crato que passei a primeira noite, mais concretamente na Herdade da Rocha.
Este lugar que começou por ser um refúgio no campo de uma família do Porto, acabou por abrir as suas portas a visitantes e é hoje também o Olive Residence and Suites.

A herdade combina muito bem a hospitalidade e simpatia nortenha com o calor alentejano e com sabores de São Tomé – país de origem do Chef José Luis.

Herdade da Rocha Crato enoturismo

Herdade da Rocha

Herdade da Rocha Crato veado

veado na Herdade da Rocha

Em torno do boutique lodge existem 62 hectares de terra que explorei de bicicleta. Por aí vi as vinhas e a adega, o olival, centenas de afloramentos de granito, passadiços de madeira, veados e muflões e acabei a descansar à sombra do Cantinho da paz.

Herdade da Rocha adega Alentejo

adega Herdade da Rocha

Herdade da Rocha vinhos enoturismo

vinhos Herdade da Rocha

Os vinhos da Herdade da Rocha retratam bem o Alentejo: vinhos estruturados, muito aromáticos e cheios de sabor. Foi, no entanto, o Rosé bem fresco que escolhi para beber à beira da piscina debaixo de um calor abrasador!

Um vinho feito inteiramente de Touriga Nacional com aromas de pimenta rosa e na boca frutado com certo amargo a lembrar toranja ou goiaba fresca.

ALTER DO CHÃO

Alter do Chão Alto Alentejo

Castelo de Alter do Chão

No dia seguinte, fui um pouco mais para sul e fiz uma paragem em Alter do Chão.

Conhecida terra de grande história, de cavalos e da Coudelaria mais antiga do país e também a terra do Açafrão-Bastardo (igualmente chamado açafroa). A açafroa é mais parecida com o cardo, mais comum e por isso também muito mais barata do que o açafrão que conhecemos, no entanto o sabor e a cor que dão à comida é bastante semelhante.

A plantação desta especiaria ali em Alter-do Chão remonta ao séc. XVI, na altura vinda da Índia. Eu não fazia ideia mas a açafroa tem sem dúvida um papel muito importante nesta cidade e é um produto de que os locais muito se orgulham.

Açafroa Alter do Chão

Açafroa ou Açafrão-Bastardo

Muita gente planta açafroa nos seus quintais e cuida dela até à colheita. Pela altura da Páscoa, realiza-se a Semana Gastronómica do Açafrão em que o arroz amarelo com ensopado de borrego é o prato-rei, mas o bolo de açafrão e o licor do mesmo também fazem boa figura! (pronto, vou ter que lá voltar na próxima Páscoa…)

AVIS

O último dia foi passado em Avis. Aqui, muita gente me recomendou almoçar na Tasca do Montinho. Segui o conselho e não me arrependi.

É mesmo daqueles restaurantes que se espera encontrar no meio do Alentejo: chão e paredes de pedra, decoração rústica, gente simpática e um menu que nos deixa logo com água na boca!

Apesar do tórrido calor nesse dia, o prato escolhido foram mesmo uns deliciosos lagartos de porco preto acompanhados de migas de tomate.

O vinho Abreu Callado tinto Reserva 2017 (servido frio claro!) não só regou a carne como fez uma excelente harmonização com a sericaia com ameixa de Elvas que comi à sobremesa. Um almocinho leve, portanto…!

Tasca do Montinho Avis restaurante alentejano

restaurante Tasca do Montinho

E o que é que apetece fazer numa tarde quente do Alentejo depois um almoço destes? Isso mesmo! Andar de barco na Barragem do Maranhão.

A Além Tejo é uma empresa muito amiga do ambiente já que o seu barco é movido a energia solar. Não só é silencioso como anda a um bom ritmo que permite aproveitar a paisagem em torno da barragem.

O passeio durou cerca de uma hora com direito a paragem para um mergulho claro. E que bem que me soube aquelas braçadas no Maranhão a ver o castelo de Avis lá em cima!

Barragem Maranhão Avis

Além Tejo Eco-Boat tours

Inês e Ricardo são as caras da Além Tejo, ambos de Lisboa mudaram-me para Avis para começar uma nova vida e dedicam-se inteiramente às actividades na barragem.

Além do barco, a Além Tejo tem também uma prancha de stand up padle gigante que dá para ter grupos de amigos e famílias em cima da prancha!

Passeio de barco Avis

Além Tejo Eco-boat tours

 

A iniciativa #EuFicoEmPortugal lançada pela Associação de Bloggers de Viagem Portugueses decorreu no mês de Junho.

Já muitos artigos de blog, posts e stories de Instagram, publicações de Facebook estão por aí por isso recomendo espreitarem o site e redes sociais da ABVP para saber por onde andaram os restantes bloggers!

Este ano #EuFicoEmPortugal, e vocês?

#euficoemportugal Alto Alentejo

 

Subscreva para receber cada novo artigo no seu email




0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *