vinhos serra oca
5 Minutos de Vinho
5 Minutos de Vinho
EP3 - DEFEITOS DO VINHO
/

Eu sei que é difícil aceitar, mas nem todos os vinhos são perfeitos…. Neste episódio falo-vos dos mais comuns defeitos do vinho e como os detectar

VINHO QUE ACOMPANHA O EPISÓDIO: Casa D’Almear Selection tinto, Bairrada 

Perguntaram-me recentemente porque é que os empregados de mesa dão o vinho a provar ao cliente antes de o servir? O que é que é suposto o cliente fazer naquele momento? Aparentemente esta situação é estranha para muita gente e desconfio que muitos empregados de mesa também não sabem bem porque o fazem…

Mas eu explico: o vinho é dado a provar para verificar se tem defeitos!

É raro acontecer, mas sendo o vinho um elemento vivo que passa por várias fases que duram vários anos é possível que nem sempre chegue ao nosso copo nas melhores condições.

Por exemplo,

Oxidação – Com o passar dos anos, os vinhos ganham sabores e tonalidades diferentes. A oxidação não tem que ser má. Quando é equilibrada e proporcional à idade, torna o vinho muito interessante, mas quando é demasiado forte, tipo vinagre ou cola, isso já não é nada bom!  Isso pode acontecer por o vinho ter estado demasiado exposto ao ar e estragou-se.

Redução ou “vinho reduzido” – é o oposto do que se passa na oxidação. Quando no processo de vinificação, se tenta limitar ao máximo o contato com o oxigênio (para preservar a frescura do vinho). Este defeito é detectado em cheiros como fósforo queimado e borracha, ou, em casos extremos, ovo podre ou esgoto. Normalmente, este cheiro só se sente ao abrir a garrafa por isso é questão de esperar uns minutos e passa.

Brett (“Suor de Cavalo”) – Provocado por uma levedura (Brettanomyces), que contamina e se desenvolvem no vinho principalmente nos que passam por barrica pois é comum alojar-se na madeira. Este defeito está muitas vezes associado uma higiene pouco minuciosa da adega. Este defeito é facilmente detectavel= provoca aromas no vinho semelhantes a couro ou o famoso “suor de cavalo”.

Por fim o mais comum dos defeitos… o Cheiro a rolha, também conhecido como TCA TRICLOROANISOLE. O TCA é um composto químico associado à rolha de cortiça, que pode causar um intenso cheiro (e até mesmo sabor) a mofo e humidade. Se não for muito pronunciado, às vezes basta deixar arejar um pouco, agitar o copo e passa. Mas se não passar, é caso para não beber o vinho.

(e não confundir a expressão “o vinho tem rolha” com acontecer ficarem pequeno pedaços de cortiça a boiar no copo, isso normalmente é só falta de jeito a abrir a garrafa!) 

Por tudo isto, é muito importante cheirar o vinho antes de o beber (e muitas vezes basta cheirar, já que os defeitos geralmente se sentem logo no nariz) Se o defeito é intenso e não se resolve com um simples agitar do copo, então é caso para pedir ao empregado para abrir outra garrafa.

No caso de terem comprado o vinho numa loja, recomendo a guardarem o talão e voltarem à loja porque é prática comum, trocarem-vos a garrafa (desde que não esteja já vazia e não a tenham bebido toda, claro!)

Agora já ficam a saber que quando vos servem um pouco de vinho no copo, não é para provar a ver se gostam…. É para ver se tem defeito ou se eventualmente está servido à temperatura correcta (e sobre temperaturas já falei no episódio 2!)

Um brinde a todos e até ao próximo episódio!