enoturismo Israel
5 Minutos de Vinho
5 Minutos de Vinho
EP8 - OS AROMAS DO VINHO
/

Vinhos que cheiram a espargos ou chocolate? Como é que isso é possível? Hoje vou explicar os aromas do vinho

VINHO QUE ACOMPANHA O EPISÓDIO: Bico Amarelo – Quinta do Ameal, Vinho Verde

Como falei no Episodio 1 – como se faz vinho – o vinho é sumo de uva fermentado. Depois de fermentado pode ou não estagiar em barricas de madeira. Após uns longos meses em madeira, será engarrafado mas só quando o enólogo ou produtor achar que é o momento certo é que o vinho vai para o mercado e chega ao consumidor final. Dependendo do tipo de vinho este processo pode demorar 6 meses (no caso de alguns brancos) até vários anos mesmo!

No meio de tudo isto é natural que o vinho altere os seus aromas de apenas uva, para um sem-número de outros aromas que vão surgindo no processo e que pode vir das castas usadas nesse vinho, na passagem ou não por madeira e qual o tipo de madeira – se carvalho francês ou americano -, o tempo que esteve em garrafa antes de ir para o mercado e no final, quanto anos demorou a ser consumido. Portanto, o que quero esclarecer é que os aromas ou sabores que se encontram no vinho não são adicionados, são consequências naturais de todo o processo.

Existem 3 categorias de aromas no vinho: primários, secundários e aromas terciários.

Aromas Primários – os aromas originários da própria casta, que só por si são únicos e dão um carácter especial ao vinho.

Alguns exemplos: nos vinhos brancos encontramos aromas florais (jasmim, flor de laranjeira), aromas vegetais (espargos, relva cortada), aromas frutados (maçãs, pêssego), e aromas minerais (pedra molhada ou dia de chuva).

Nos vinhos tintos encontramos os aromas florais (violeta, rosas, flores do campo), os aromas vegetais (pimento verde), e aromas de fruta e ervas aromáticas (cerejas, amoras ou tomilho).

Aromas Secundários:  são os aromas que aparecem já durante a fermentação alcoólica, fermentação essa que é acelerada por leveduras. Deixam a sua marca no vinho também sob a forma de aromas.

E que aromas podemos então esperar encontrar resultantes da fermentação? Quer os vinhos brancos quer os tintos podem apresentar aromas – miolo de pão, leite, manteiga, brioche e bolacha outros.

Por fim, os aromas Terciários, que são os aromas que surgem da passagem por madeira ou do envelhecimento natural do vinho já em garrafa. Este processo vai originar aromas mais complexos – baunilha, pão, tostado, caramelo e o tal chocolate negro. Com a idade o vinho ganha sabores que lembram tabaco, alcaçuz, frutas secas ou fruta em compota, eucalipto (os chamados aromas balsâmicos), por exemplo.

No meio disto tudo não confundir os aromas e sabores do vinho com os seus defeitos! Se tiverem dúvidas voltem lá a ouvir o EP3 que eu explico tudo.

Por agora aconselho-vos a provar vinhos com mais atenção e vão ver como os aromas vão surgir e não são só na minha cabeça!

Um brinde a todos e até ao próximo episódio 😊